História de São Miguel do Gostoso

A história vem sendo passada de pai para filho, contando que o município começou em 29 de setembro de 1884, exatamente, no dia dedicado a São Miguel pelo missionário frei João do Amor Divino. Nesse dia, segundo informações de moradores mais antigos da localidade, o missionário fincou na praia hoje denominada Maceió, um cruzeiro com o objetivo de marcar a data. Inicialmente o local do cruzeiro foi usado de forma improvisada para a celebração de missas, de batizados e de casamentos e posteriormente passou a ser utilizado como local de sepultamento de crianças, por isso hoje o nome de Praça do Anjos.
O nome Gostoso, segundo registros, vem de um morador muito antigo da localidade que recebia freqüentemente pessoas que passavam pela cidade, era considerado um homem bem informado, e o principal fato é que este senhor era um exímio contador de estórias, sempre acompanhadas de uma risada extremamente gostosa e contagiante. Foi devido a sua risada característica e marcante, que ficou conhecido por Seu Gostoso e rapidamente o nome gostoso passou a denominar o novo povoamento.
Muitos anos após, exatamente no dia 29 de setembro de 1899, o Sr. Miguel Félix Martins, também um dos primeiros moradores do vilarejo, inaugurou uma igreja em pagamento a uma promessa feita ao Arcanjo Miguel, que passou a ser o padroeiro da comunidade. Com a igreja e a crescente devoção ao santo padroeiro, o povoado foi sendo chamado, naturalmente de São Miguel do Gostoso.
Pela Lei nº 6.452, de 16 de julho de 1993, São Miguel de Touros conquistou sua emancipação política desmembrada do município de Touros e elevada a condição de município do Rio Grande do Norte com o nome de São Miguel do Gostoso. Por força de plebiscito alguns anos após, o município obteve oficialmente a denominação de São Miguel do Gostoso.

Help us improve the translation for your language

You can change any text by clicking on (press Enter after changing)

0